A importância dos probióticos e prebióticos para os atletas

 

Talvez você nunca tenha ouvido falar em alimentos prebióticos e probióticos, mas, provavelmente você já tenha consumido algum dos dois.

 

Eles são considerados alimentos com propriedades funcionais, que têm efeito benéfico ao organismo. Os próbioticos são micro organismos vivos que, quando associados aos alimentos, contribuem para a manutenção da flora intestinal de forma estável e equilibrada, aumentando as bactérias benignas do intestino. Esses micro organismos podem ser componentes de alimentos industrializados, como os leites fermentados e iogurtes ou podem ser encontrados na forma de pó ou cápsulas.

 

Existem diversos estudos com possíveis efeitos benéficos dessas bactérias, entre eles, fortalecimento do sistema imunológico, alívio da constipação intestinal, melhor absorção de determinados nutrientes, alívio dos sintomas de intolerância à lactose e diminuição dos níveis de colesterol. Mas, o principal objetivo desses alimentos enriquecidos com probióticos é regular o trânsito intestinal e proteger de possíveis infecções.

 

Ajudam na manutenção da flora intestinal, estimulam o trânsito intestinal, contribuem para a consistência normal das fezes (prevenindo a diarréia e a constipação), melhoraram a intolerância à lactose e favorecem a diminuição do excesso de colesterol e glicose. Exemplos de prebióticos: cebola, alho, tomate, banana, cevada, aveia, trigo mel e cerveja. E a inulina, que é extraída principalmente da raiz da chicória, aspargos, trigo e cebola.

 

Como a prática de exercícios físicos exige bastante do organismo em termos de nutriente, é muito importante o atleta manter sua flora intestinal adequadamente, para garantir uma ótima absorção dos nutrientes e com isso a melhora da performance física.

 

Para obter um efeito benéfico esperado, é ideal que ocorra uma ingestão diária desses alimentos. Para saber quais são as melhores fontes e a quantidade ideal que precisa ser consumida, consulte um profissional da área.

 

Curiosidade: Existem também os SIMBIÓTICOS, que são suplementos que associam os prebióticos com os próbioticos a fim de intensificar os efeitos dos dois componentes.

 

YANA GLASER – Nutricionista Esportiva com pós em Fisiologia do Exercício  e triatleta há 12 anos.

http://instagram.com/trackfieldcuritiba

 

REFERÊNCIAS:

Peppelenbosch MP, Ferreira CV. Immunology of pre- and probiotic supplementation. Br J Nutr. 2009 101:2-4. PMID: 1857730

Roberfroid MB; Prebiotics: The Concept Revisited. J Nutr. 2007; 137: 830S</p><p>SAAD, S. M. I. Probióticos e prebióticos: o estado da arte. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. v. 42, n. 1, 1-16, 2006.

SANDERS, M.E. Probiotics: considerations for human health. Nutr. Rev., New York, v.61, n.3, p.91-99, 2003

http://www.anvisa.gov.br/alimentos/informes/09_210504.htm 

http://www.rgnutri.com.br

http://www.isapp.net 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *