A importância de praticar musculação atrelada a corrida

 

Até pouco tempo atrás, era difícil encontrar corredores de longas distâncias nas salas de musculação.
 
Historicamente, esses atletas evitavam exercícios de força preocupados com os possíveis efeitos negativos do aumento da massa muscular (hipertrofia) em seu desempenho.
 
Naquela época, os métodos para melhoria de performance consistiam exclusivamente na melhoria do condicionamento cardiovascular.
Assim, os treinamentos consistiam basicamente em treinos de longa distância a uma velocidade moderada ou em distâncias curtas com altas velocidades e, é claro, em uma combinação desses dois estímulos.
 
Acreditava-se que os fatores determinantes do desempenho eram: o VO2 máximo (maior taxa de oxigênio que o corpo humano pode usar e absorver, considerada, por isso, um dos principais indicadores de desempenho de um corredor) e o limiar de lactato (máximo de esforço ou velocidade em que se produz um nível constante de lactato no sangue). Qualquer aumento deste último nível (tanto em velocidade quanto em esforço), porém, poderia causar um aumento contínuo do lactato ou ácido lático, o que poderia eventualmente causar o encerramento da atividade.

 

Novas evidências científicas indicam, no entanto, que um programa que envolva exercícios de força e de potência pode ser importante fator de melhoria no desempenho das corridas.
 
Isso porque a musculação proporciona ao corredor a capacidade de realizar uma corrida com um nível de desgaste fisiológico bem menor quando comparado aos corredores que não realizam treinamento de força.
 
Com a musculação, ele também acaba necessitando menos oxigênio para executar seus treinos, em virtude de produzir mais força muscular e de diminuir o tempo de contato do pé com solo durante as passadas da corrida.
 
Portanto, caso você seja praticante de corrida ou até mesmo um atleta, essas novas diretrizes apontam cada vez mais para benefícios da musculação como complemento de seus treinos.
 
Além da melhoria do desempenho, ela poderá também contribuir para a correção dos desequilíbrios musculares e, principalmente, para a prevenção de lesões.

por Eduardo Netto, diretor-técnico da Bodytech

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *