Desafio vencido em Atenas

Post 32Foto: Arquivo pessoal

Terezinha Fontana, cliente da loja Track&Field do Shopping Galleria, é movida por desafios e em 2010 enfrentou um dos grandes. Ela participou da edição dos 2.500 anos da Maratona da Grécia, data que comemorou o aniversário da primeira travessia de 42 km feita por um soldado após a batalha de Marathona, em 490 a.C.

A superatleta escreveu para o TF Blog contando sobre a experiência de correr em Atenas, o berço da maratona:

“Comecei a me preparar em maio de 2010 e segui uma rotina espartana. Treinava seis vezes por semana com muita dedicação, concentração e disciplina. Foi assim até o dia da prova, 31 de outubro.

A largada aconteceu na cidade de  Marathona e até o quilômetro 12 achei o percurso tranqüilo. Pessoas ao longo do caminho gritavam “Kalimera!”, bom dia em grego. Tudo muito agradável!

Depois começaram as subidas e os morros, que só terminaram no quilômetro 32. O sol quente, 23ºC, castigava o corpo e por isso mantinha a mente focada em chegar.

O céu era azul de brigadeiro, sem uma única nuvem. Uma visão linda!

Mantive-me hidratada, seguindo as recomendações da minha nutricionista e grande amiga Daniela Magro. A partir do quilômetro 30 as pessoas começam a quebrar. Algumas caminham, outras param… Eu me sentia bem, embora com muita dor na sola dos pés. Mantive a hidratação correta, isotônico, gel  e banana.

Concentrada, fazia de tudo para não perder o foco. No quilômetro 40 a emoção invadiu meu corpo. Já no quilômetro 42 ficou difícil controlar a emoção.

Na última curva era possível ver o estádio Panathinaikos e nesse momento minha cabeça virou um turbilhão de pensamentos. Entrei no estádio chorando, correndo, gritando. Cruzei a linha de chegada em 04h34mim e pensei “Definitivamente essa é uma prova para poucos e loucos, porém felizes.”

*A Terezinha já participou também da Maratona da Muralha da China. Clique aqui e leia a matéria no TF Blog.

Terezinha Fontana, cliente da loja Track&Field do Shopping Galleria, é movida por desafios e em 2010 enfrentou um dos grandes. Ela participou da edição dos 2500 anos da Maratona da Grécia, data que comemorou o aniversário da travessia de 42 km feita pelo soldado Filípides após a batalha de Marathona, em 490 a.C.

A superatleta escreveu para o TF Blog e contou sobre a experiência de correr em Atenas, o berço da maratona:

“Comecei a me preparar em maio de 2010. Até outubro segui uma rotina espartana. Treinava seis vezes por semana, com muita dedicação, concentração e disciplina.

A largada da prova aconteceu na cidade de  Marathona e até o quilômetro 12 foi tudo tranqüilo. Pessoas ao longo do percurso gritavam “Kalimera!”, bom dia em grego. Tudo muito agradável.

Depois começaram as subidas e os morros, que só terminam no quilômetro 32. A dificuldade do percurso e o sol quente – 23ºC – castigavam o corpo, por isso mantinha a mente focada em chegar, chegar, chegar.

O céu era azul de brigadeiro, sem uma única nuvem. Mantive-me hidratada, seguindo as recomendações da minha nutricionista e grande amiga Daniela Magro.

A partir do quilômetro 30 as pessoas começam a quebrar. Algumas caminham, outras param… Eu me sentia bem, embora com muita dor na sola dos pés. Mantive a hidratação correta, isotônico, gel ,banana…

Concentrada, não podia perder o foco. Comecei a fazer contas, só faltam 12 km, agora 6 km – uma volta por fora da Lagoa do Taquaral, agora uma volta por dentro.

No quilômetro 40 a emoção invadiu meu corpo, mas mesmo assim precisava manter o foco, me concentrar e chegar bem.

No quilômetro 42 fica difícil controlar a emoção. Na última curva já vejo o estádio Panathinaikos e minha cabeça vira um turbilhão de pensamentos. Entrei no estádio chorando, correndo, gritando. Cruzo a linha de chegada e penso: “Definitivamente essa é uma prova para poucos e loucos, porém felizes.” Conclui a prova em 4h34mim.”

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *